quinta-feira, 19 de abril de 2018

Resenha de Ilha dos deuses da Nora Roberts






Ilha dos deuses — Nora Roberts, Editora Harper Collins
204 páginas — 4,5  + 




Olá, pessoas normais, estranhas e não tão estranhas assim.



Esse ano eu tirei para ter novas experiências na minha vida literária. Já li Júlia Quinn e seu falado livro (e pretendo ler todos os outros agora!) e essa foi a vez de Nora Roberts, que deve ser a autora com mais livros publicados que eu tenho conhecimentos (meu Deus, 160 romances, tá!).

A leitura se tratou de um romance rápido, misterioso e, para mim, bem surpreendente.



"O destino é um fenômeno estranho é maravilhoso."


O livro, narrado em terceira pessoa, vai apresentar Morgan James, uma americana que trabalha como intérprete da ONU e, após recusar diversas vezes tirar suas merecidas férias, aceita ir para a Grécia, conhecer o novo lar de sua melhor amiga, Liz, que há alguns anos casou-se com um milionário grego.

Morgan está verdadeiramente feliz e relaxando pela primeira vez em muito tempo, sendo cercada por amigos. O ar da Grécia é tranquilo, repleto de lendas e com alguns homens extremamente galantes para flertar. Até que Morgan decide que um mergulho a luz da lua  poderia ser uma experiência deliciosa, porém, para Morgan tudo se desdobra em algo perigoso e misteriosos.




Nessa noite ela é mantida, por alguns minutos, refém de um homem armado. Morgan sente o terror correr por todo seu corpo, desesperada e agoniada, ela termina por desmaiar e, assim que acorda, conhece seu captor que, no máximo, a deixou com um arranhão. Nicholas Gregoras não é nada menos do que um homem charmoso, rico e, até agora, de caráter duvidoso. Morgan não acredita que ele seja uma boa pessoa, mas o homem, após o incidente que diz ser por culpa dela estar em perigo, ele volta a aparecer em cada canto, em festas e passeios que seus amigos promovem.



"Estava tão quieto que ela podia ouvir as ondas quebrando suavemente na areia a alguns metros dali. Acima de sua cabeça, em meio aos espaços entre a folhagem, as estrelas ainda brilhavam. Aquilo devia ser um pesadelo, disse a si mesma. Não podia ser real. Mas quando tentou se mexer, o peso do corpo vigoroso sobre o seu provou ser muito real."


O romance começa a acontecer quase que desde o começo do livro, não verdadeiramente dito, com um amor e tudo mais, mas mesmo assim o magnetismo e a tensão entre Morgan e Nicholas é quase palpável, e a personalidade forte dos dois batem de frente o tempo inteiro, o que me causou muito interesse em como cada um iria aceitar o outro.

Mas o que eu achei que fosse ser um romance apenas, se desdobra em uma cena de crime que nossa própria protagonista descobre. Um assassinato, e Morgan fora quem descobrira o corpo, vira evidências, e a viagem dos sonhos se transforma em um mar de suspeitos. 




Durante toda a leitura eu suspeitei de cada personagem! Não havia nenhum bonzinho o suficiente para ser confiável, senti mesmo pena por Morgan, ela não podia confiar em ninguém para depositar seus pensamentos. E Nicholas, o homem que parece querer protegê-lo a todo custo por culpa da atração que sente por ela, não mostra suas verdadeiras intenções durante as investigações, e nem mesmo quando li sobre as cenas dele, não soube dizer se ele era um criminoso ou alguém em que nossa protagonista poderia crer nas palavras ditas.



"Ele a fizera sentir medo desde o primeiro instante. Mesmo a amando, não poderia lhe proporcionar nada mais. Não tinha o direito de lhe dizer, naquele momento, que seu coração pertencia a ela. Uma vez que lhe dissesse, Morgan talvez lhe pedisse para abandonar suas responsabilidades."


A leitura em si foi cheia de reviravoltas, cada um mais surpreendente, a autora nos força a suspeitar de cada pessoa que passa por Morgan, mesmo aqueles personagens que gostamos. Nicholas é um personagem da qual sentimos a relação de amor e ódio, ele é muito duro com Morgan o tempo inteiro, mas também nos faz entender o porquê disso, do porque quere-la longe e protegida. E Morgan é realmente uma heroína, corajosa até a última página, ela quer desmascarar o assassino que ronda a ilha e que está propagando o terror no meio de seus amigos pela morte causada. Foi realmente uma excelente leitura, uma coisa alí ou aqui que eu não gostei, mas não algo que me fizesse parar a leitura ou não apreciar a escrita da autora que, aliás, é realmente incrível. Nada de mais, porém com analogias nos pontos certo e romance na quantidade adequada, sem estragar o mistério incrível e a personalidade forte de Morgan.




Recomendo para todos que ainda não leram Nora Roberts, e para aqueles que já conhecem a escrita dela, podem correr parar ler "Ilha dos deuses" e morrer de curiosidade a cada página virada e, ao encerrar, finalmente sanar todas as suas suspeitas.



Pode ser adquirido em:







terça-feira, 10 de abril de 2018

Resenha de Assim como és de Naiara Aimee






Assim como és — Naiara Aimee, 86 páginas


E-book/físico pela Editora Portal (selo Reino)
Opinião: 5
 
 + 





Olá, pessoas normais, estranhas e não tão estranha assim.



E vamos nós com mais uma resenha aqui no blog, dessa vez a resenha desse conto já está disponível no YouTube (clique aqui para assistir ou vá até o final desta postagem) e agora eu venho trazer a resenha escrita e novidades sobre o conto que, antes, foi publicado na plataforma Wattpad, e que agora está disponível em e-book e estará, em breve, disponível em formato físico publicado pela editora Portal (confira mais informações clicando aqui!).






Assim como és, se trata de um conto de época que vai nos mostrar a vida de Rebecca Kingsbury, uma menina que sofre com uma dificuldade na fala e que, consequentemente, é menosprezada por sua mãe, já que não poder falar de forma completamente legível está fora dos padrões da sociedade. Porém, sua dificuldade em se comunicar não a impede de mostrar suas opiniões, e isso se mostra melhor quando essa menina cresce e se transforma em uma belíssima mulher. Para a infelicidade de sua mãe, Rebecca continua com seu problema na fala, mas a jovem não se abala com isso, conseguindo sempre fazer amizades e conquistar corações.


A única pessoa que incomoda Rebecca plenamente é Henry Ashford, um cavalheiro que na infância humilhou Rebecca e a fez realmente criar certa mágoa por ele. Mesmo ela não querendo, Rebecca nunca conseguiu esquecer do que passara na infância e, por isso, quer manter distância deste homem. Porém, as coisas mudam quando Rosamund, sua irmã mais nova, decidi que está perdidamente apaixonada por Henry e a mãe delas decide que não existirá partido melhor para sua filha. E então, será que Rebecca Kingsbury irá perdoar Henry pelo que lhe fez no passado e aceita-lo como parte da família?


"Ela percebia que seguir a filosofia do pai de não deixar que as pessoas fizessem a sua vida triste, pois assim ela realmente seria, se tornava difícil, ainda mais porque Ashford parecia preencher boa parte da sua vida, por mais que ela resistisse, sorrisse, fosse forte e se negasse a deixar que aquilo tirasse todo seu vigor."

Esse conto é simplesmente tocante! "Assim como és" é uma surpresa para qualquer leitor, Rebecca é uma personagem corajosa por enfrentar as dificuldades que a vida foi colocando em seus caminhos onde quer que fosse, mais ainda por não guardar rancor pelas pessoas que a rodeiam e, sim, amá-las com todo coração. Infelizmente, o destino fez com que ela entendesse mal alguns fatos e ela, pela primeira vez, passou a sentir extrema aversão por Henry que precisará provar a ela que é o contrário de todas as coisas ruins que ela imaginara.







A narração é completamente delicada, estou para conhecer autora de época que consiga conquistar meu coração dessa forma. Não sei exatamente qual técnica Naiara usa para escrever, mas a cada palavra eu sinto a leveza das palavras, os sentimentos fluindo dos personagens para mim e tudo fazendo o completo sentido até a última página. Todos os personagens tem suas características únicas e, devo admitir, que uma em especial me surpreendeu muito durante o desenrolar da história, com sua lealdade e companheirismo voltados a Rebecca, completamente. E Rebecca, ah, tenho que dizer que a determinação e cumplicidade com todos é extremamente linda, sua determinação em ser feliz é admirável, mais ainda para a época em que vive e com todos os obstáculos impostos a ela. Henry, com quem tem o terrível desentendimento é realmente um cavalheiro, daqueles que toda dama e garota moderna sonha em ter.

"Ele não disse nada, apenas fechou seus olhos e correspondeu ao abraço. Tudo que ele queria era sentir. Precisava apenas sentir. Ela estava ali, depois de tê-lo partido em mil pedaços, mas não importava, ela estava ali e isso era tudo que ele queria, o milagre que havia pedido."

Sempre que realizo a releitura desse conto, me surpreendo o quanto continuo sendo afetada pelas palavras de um modo tão bom, guardando cada uma delas em meu coração e levando cada mensagem de carinho comigo. Tudo nesse conto vai ser mágico, desde a ambientação até o enredo contagiante.

Veja a resenha em vídeo logo abaixo




Realize a compra na

AMAZON (e-book)     FÍSICO (em breve)

Siga a autora  no

INSTAGRAM   e    WATTPAD
 (@deepocaaimee e @naiaraaimee)     











quinta-feira, 22 de março de 2018

Resenha de Esposa até segunda da Catherine Bybee



Esposa até segunda — Catherine Bybee, 252 páginas
Editora Verus —  Opinião: 4  + 


Olá, pessoas normais, estranhas e não tão estranhas assim!


Aqui estam
os com mais uma resenha! Hoje decidi resenhar o segundo livro da série "Noivas da Semana", a qual o primeiro volume já tem resenha disponível no canal, basta clicar aqui.


No segundo volume da série, a autora quis se desafiar ao incluir um pouco mais de ação e suspense, o que tornou tudo bem mais interessante e ela sacrificou um pouco mais seus personagens. Para quem não sabe, comecei a ler essa série da forma mais errada possível, mas isso ajudou muito na minha paixão pela série. Inicie a leitura: pelo terceiro volume, depois o primeiro e o segundo. Então, se você não gostou do primeiro, NÃO DESISTA!, a coisa vai ficar muito legal, sério!







Nesse livro iremos rever personagens já conhecidos e sermos apresentados a novos. Eliza Havens é a melhor amiga de Sam (de Casada até Quarta, dona da empresa Alliance - cujo objetivo é casar temporariamente homens e mulheres, realizando na verdade uma transação comercial), que gerencia a agência da amiga. Ela está realmente feliz com sua vida, tem amigos para amar e ser amada, o único problema é o melhor amigo do marido de Sam, Carter Billings. As implicâncias e brigas que rolam entre esses dois é pura química, e os olhares escondidos nós já percebemos desde o primeiro livro.



Com sua beleza hollywoodiana, ele poderia conquistar qualquer mulher, mas a única coisa no momento que ele mostrar desejar é o cargo de governador do estado da Califórnia. Mas, confusões por culpa de uma bebedeira e alguns valentões, Carter termina por precisar de uma esposa para mostrar ao estado da Califórnia que é um homem de família e de paz, e que deseja ser um dos exemplos daquele estado como governador. Então entra em ação nossa querida empresa Alliance, mas quem melhor poderia ser sua esposa temporária do que a mulher por quem ele sente uma enorme atração? Exato, a Eliza entrou no plano de candidatura do Carter! Mas, só talvez, não seja só apenas por sua candidatura não é mesmo povo romântico que gosta de um suspense básico?!



"Eliza não fugiria. Ainda não. Aceitaria o conselho de Jim e evitaria se expor. Relembrou alguns movimentos que a manteriam confiante, ainda que não necessariamente segura.


Ela observaria.

E ouviria.

E correria até não poder mais se seu passado quisesse alcançá-la, ameaçando as pessoas que havia aprendido a amar."


É a partir daí que percebemos que Eliza Havens tem muito mais a esconder do que uma personagem comum. A polícia está envolvida nessa história, e pouco a pouco o leitor é conduzido a formar teorias apenas para desfazê-las mais a frente. A minha opinião pode ser definida por uma simples frase: adorei, porém o final me deixou meio cabisbaixa, não odiei, mas mesmo assim....





O romance surge gradativamente, vemos que o casal tem atração e um forte carinho um pelo outro, ainda mais por já se conhecerem e terminarem por serem melhores amigos do casal queridinho do primeiro livro, mas o amor realmente vai crescendo aos poucos e os dois não ficam na suprema negação de que existe após certo momento do enredo, onde todos os segredos são desvendados. O humor sarcástico do casal também é bem presente, e eu amo poder me divertir com essas discussões, aquele estilo casal clichê que a gente pode ter a certeza de que vai amar (nem gosto!). (Esse livro tem algumas cenas hots, mas podem ser puladas sem muitos problemas, você não vai perder algo que faça sentido na história ao pulá-las.)




"Todos os olhares estavam em sua noiva, o que satisfazia Carter perfeitamente. Quando ela apareceu sob o sol e olhou para o caminho gramado que levava até ele, seus olhares se encontraram, e o nervosismo dele desvaneceu com a brisa"



O mistério é mostrado pela autora de forma cuidadosa, como havia falado no início, a Catherine Bybee foi mais corajosa dessa vez, sem medo de colocar seus personagens em risco e deixar o leitor indo a loucura de tão desesperado em certas cenas, mais ainda quando não são os nossos protagonistas foram o foco da narração. Mas, ao final, eu percebi que a autora ainda não estava preparada para fazer grandes coisas de ação nesse livro, ela desempenhou um papel incrível no desenvolvimento de seu enredo, mas a Eliza e o Carter devem ser os queridinhos dela. O final não é decepcionante, mas abaixa a adrenalina que estava ligada na mente desde o início. 



Em questão de personalidade, a Eliza é uma mulher extremamente forte, é legal ver como ela não aceita a situação em que é obrigada a viver e como luta pelos que ama. O passado dela também foi bem construído, gosto de como a autora não faz aquele drama completo, mas mesmo assim deixa um peso fluindo durante o enredo. Carter é um personagem completamente fofo e apaixonado, sério, puro amor por esse homem. Ele é honesto, leal aos seus amigos e tem tanto amor pra dar, gente, caído por esse homem (suspiros!).



Uma leitura MEGA válida, principalmente se você está passando por algum estresse ou coisa do tipo, a autora não fica enrolando, é bem objetiva e sabe como descrever bem uma cena, e se você ama interação de personagens (principalmente com personagens dos próximos livros e dos anteriores) vai ficar caidinha pelos diálogos parceiros que essa série tem. E esse livro vai te deixar totalmente ansiosa para o próximo livro e, preparem os corações para depois do livro 2, porque o terceiro volume tem altas tretas (não tinha uma palavra melhor para definir haha)!





É isso meus queridinhos, espero que vocês tenham gostado da resenha, mês que vem eu libero a resenha do meu livro favorito da série (#ansiosa). Um beijo e até...


Esposa até segunda da autora Catherine Bybee pode ser comprado nas lojas: Amazon, Submarino, Lojas Americanas e Saraiva.

quarta-feira, 14 de março de 2018

Resenha de A geografia de nós dois da Jennifer E. Smith








A geografia de nós dois — Jennifer E. Smith, 272 páginas
Editora Galera Record — Opinião 5





Olá, pessoas normais, estranhas e não tão estranhas assim.


Aqui estamos em mais uma resenha! Hoje eu vim resenhar um livro que li em fevereiro que me deixou totalmente fora dos controles de minhas emoções. Esse livro é "A geografia de nós dois" da Jennifer E. Smith, já é o segundo livro da autora que embarco na leitura, o primeiro foi "A probabilidade estatística do amor à primeira vista" que você pode conferir a resenha clicando aqui.


Dessa vez vamos acompanhar a história de Lucy e Owen, mas nao esperem uma história de romance, de pura paixão ou coisa do tipo. O livro conta sobre a vida e viagens intermináveis pelos sentimentos e pelo mundo em si. Lucy e Owen, de 16 e 17 anos respectivamente, se conhecem dentro do elevador, no meio maior blecaute de New York. Pendurados por um fio dentro de uma caixa de ferro, sem ter para onde fugir, sem maiores pretensões, eles terminam por engajar em uma conversa sincera.





Ao falarem sobre amenidades parece que estão revelando mais do que deveriam, sobre seus sentimentos, seja tristes ou felizes. Ao serem liberados do elevador, ainda com a escuridão dominando toda a cidade, eles terão duas opções: cada um seguir seu caminho, para casa ou seja lá onde, ou continuarem juntos e desfrutarem um pouco mais da presença um do outro, quase que esquecendo da vida lá fora, como se fosse apenas os dois em seu mundo repleto de sonhos. A escolha final é continuarem juntos até, pelo menos, o final da noite.


Os dois jovens parecem conhecer muito bem, ao mesmo tempo que falta tanto ainda para chegarem a esse estado. Owen, com os problemas de família envolvendo o falecimento de um dos membros e tudo que ocasiona essa perda, a tristeza, a luta para se manter vivo e andando para o futuro e Lucy, também com seus problemas com a família, mas em um formato diferente que envolve a distância física que seus pais tomaram dela e os sentimentos jogados de lado.





Lucy e Owen após a noite inesquecível do blecaute terminam por se separarem, ela indo para outro continente e ele viajando por todos os estados de seu país.


O único laço entre eles são os inesquecíveis cartões postais que em outrora eles mesmo caçoaram do quão desnecessário era um, principalmente os com as palavras "queria que você estivesse aqui". Mas, percebemos que a distância entre eles apenas reafirma o quanto cada um aproveitou daquela pequena noite e o quanto eles tinham que se resolverem, tratarem dos próprios sentimentos e dúvidas, das batalhas da vida e das dificuldades a eles impostas.



"A relação deles tinha sido construída em território neutro e geografia imparcial (...)"

A narrativa em terceira pessoa, concentrado nesse dois jovens, garante um maior desdobramentos de todos os fatos e dos personagens ao redor, nos fazendo entender muito melhor o lado de cada um. O livro não traz como principal o romance dos dois jovens, é claro que é apresentado de modo bonito, delicado e completamente natural, mais ainda por eles não ficarem felizes logo de cara e sim ser gradativamente durante o enredo.





A cada viagem que um deles realiza parece libertar algo de ruim que eles carregavam dentro de si, os fazendo enxergar o quanto querem contar um para o outro como se sentem e como gostariam realmente que as palavras escritas no cartão postal virassem realidade. 


Eu fiquei tensa quase que o livro inteiro, mesmo a narrativa sendo maravilhosa, os fatos se desenrolando e tudo mais, a leitura é instigante e você não quer soltar o livro até terminar. Mas, também, te deixa nervosa, sem saber realmente o que vai acontecer com os personagens, quais decisões vão tomar e como eles vão amadurecendo mais e mais.




"Na escola, Lucy estava sentada em silêncio na carteira, voltada em direção ao oeste.

(...)



Entre uma aula e outra, Owen parou por um instante com os pés apontados para o leste"

É por isso mesmo que preciso indicar esse livro para a leitura, não tem como um livro que te deixa nervosa, com o coração aos pulos e, de modo tão simples, te surpreender, deixar de ser lido. Eu recomendo muito para todos os amantes de viagens e romances, esse livro é completamente sensacional, ele representa a geografia de dois jovens aventureiros!


Espero que tenham gostado da resenha, estou louca para ler mais livros dessa mesma autora. E vocês, já leram os livros delas? Se já, quais e me indiquem, ou algum que vocês achem que eu iria curtir com a mesma temática de alto descoberta. 


Beijos e até....


O livro pode ser adquirido em:




terça-feira, 6 de março de 2018

Resenha de O duque e eu da Julia Quinm







O duque e eu 
— Julia Quinn, 288 páginas
Editora Arqueiro  — Opinião: 5  +  











Olá, pessoas normais, estranhas e não tão estranhas assim.

Eu já ouvi falar muito bem da autora Julia Quinn, basicamente, quase todas as blogueiras literárias já lerem e todas que eu conheço me indicavam a leitura. Foi aí que eu dei uma chance a ela em "O duque e eu", o primeiro livro da série os Brigertons. E, devo admitir, eu estou louca para continuar a leitura dessa série e de todas as outras dessa mulher! O gênero é romance de época (que nem sou apaixonada!), e assim que coloquei as mãos no livro eu gastei um dia inteiro só lendo ele!

"O duque e eu" retrata a vida de Simon Basset, o duque de Hastings, que está preparado para jamais se casar, mas um duque solteiro é um prato cheio para as mães  com filhas solteiras na temporada de Londres. Para evitar um possível plano infalível vindo dessas mães desesperadas para casarem as filhas é ele que precisa de um plano infalível.






 É aí que entra Daphne Brigerton, a quarta mais velha dos irmãos e a primeira mais velha por parte das meninas. Os Brigertons são uma família grande com uma tradição totalmente engraçada: a primeira letra dos nomes acompanham o alfabeto, sendo assim, temos Anthony, Benedict e Colin, Daphne e daí em diante (sim, achei genial, sim, precisava colocar sobre isso na resenha!).


Daphne quer ter uma família grande e barulhenta tanto quanto a sua, e, para isso, deseja se casar logo. Mas, infelizmente, os únicos homens que dão atenção para ela são velhos demais ou não despertam nenhum interesse na pobre jovem.


Então Simon Basset, o melhor amigo de seu irmão, entra com o plano de que se os dois fingirem estarem interessados um no outro, deixando Simon corteja-la, outros homens irão se interessar por ela e ele, por sua vez, fica livre das loucas mães que estão correndo atrás dele.




Sabemos muito bem como isso termina, certo? Os dois, com seus argumentos e personalidades fortes terminam por se envolverem um com o outro mais do que deveriam. 


A escrita da Julia é direta e simples, não deixando de ser bonita. Ela trabalha muito com diálogos bem feitos, sempre me remetendo a lembrar de diálogos completamente reais e engraçados, ela usa muito do humor e eu amei isso a cada página virada. Também não deixa de nos mostrar e deixar o mais evidente possível os sentimentos que cada personagem tem a cada situação passada.


Talvez, o que mais tenha feito eu me apaixonar pelo livro seja a forma como ela sabe mostrar todo o amor que da família Brigerton entre os seus. Eu amo livros onde a presença da família e amigos seja constante, e nesse livro não faltou demonstração de afeto.





O romance que cresce entre Daphne e Simon é mostrado de forma concreta, ela não passou por cima em uma paixão enlouquecedora, ela mostra como cada um se apaixonou, nós acompanhamos a história, ela não é entregue de bandeja. E, realmente, eu amei saber todos os medos de Simon, principalmente por ele não ter crescido no mesmo mundo que Daphne, ter tido experiência diferentes e ter aprendido a ser o que era. 


Para finalizar, eu gostei muito da experiência com esse livro. Senti falta talvez de algumas coisas, mas nada que realmente atrapalhe eu gostar do livro e querer continuar lendo todos os outros!


Espero que tenham gostado da resenha, logo ela estará disponível também no canal. 


Um grande beijo e até....




Pode ser comprado:

 
SARAIVAAMAZONSUBMARINO e LOJAS AMERICANAS





terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Resenha de Tudo o que mais importa da Naiara Aimee


Olá, pessoas normais, estranhas e não tão estranhas assim!

Hoje vou trazer para vocês a resenha do livro “Tudo o que mais importa”, um romance de época cristão que foi lançado pela editora UpBooks.  A Naiara, além de ser uma autora que admiro muito, é uma amiga incrível que já tive a oportunidade de ler outras de suas obras, então você pode conferir lá no canal as resenhas de” Assim como és” e “Sem Canção”, também há uma entrevista que pode ser conferida clicando aqui. Mas, para quem não curte muito resenhas escritas, você poderá conferir o vídeo ao final dessa postagem, basta seguir direto para o final dela, tudo bem?!



Narrado em terceira pessoa, o romance de época trazido por Naiara Aimee conta a história das cinco irmãs McCarthy que, infelizmente, tomaram a posição de órfãs na sociedade após uma terrível doença tomar a vida de seus pais. Juntas, as cinco irmãs, esforçam-se para continuarem sobrevivendo a cada dia, vivendo a custas do que conseguem  fazer com as próprias mãos e vender por onde moram.

Em um inesperado dia frio, o que as forçava a ficarem ao redor da lareira em sua casa vazia e gélida, recebem a visita de um advogado a mando de Edward Radford, o filho de uma antiga amiga delas e de sua mãe, cuja morte ocorrera há pouco tempo. O advogado vem trazendo a noticia de que Edward deseja que as cinco irmãs vivam sobre o mesmo teto que ele e sua tia, que serviria de acompanhante para as cinco — já que Edward é solteiro e seria inadequado ter jovens, naquela época, morando com um homem. Jane, a mais velha e quem assumira a responsabilidade pelas irmãs recusa a ida, sentindo que seria um peso para o homem, pois é a mais velha de todas, mas permiti que, se for da vontade delas, as irmãs fossem morar junto de Edward.



Com muito pesar, as quatro irmãs aceitam o convite indo sem Jane. Edward fica realmente desamparado por não serem as cinco irmãs a virem, mas não por motivos muito nobres, na verdade toda essa generosidade gira em torno do testamento de sua falecida mãe que determina que ele só recebera toda a herança se as cinco irmãs estiverem morando de baixo de seu teto.

Porém, após mais algumas complicações, Jane termina por ir morar junto de suas irmãs com Edward. O enredo começa a se desenvolver mais profundamente a partir daí. Jane é uma personagem de grande fé, mostrando sempre sua força em ações e em seus diálogos calmos e concentrados, mesmo tendo problemas ela se mantem firme em sua fé e busca se fortalecer em Deus. E Edward, sendo a parte que mais se machucou em todo seu passado é o personagem que precisa de ajuda e segundas chances e Jane é quem se envolve com ele durante o romance, tentando fazer com que entenda que qualquer um tem o poder de superar as mágoas e ter um futuro com amor e perdoar a si mesmo.
Mas, se vocês acham que a parte teológica será empurrada contra vocês, bom, estão enganados. Ela vem de forma suave com a escrita cuidadosa e delicada da autora, como ensinamentos e esperança para os personagens, trazendo uma moral na história.



A cada virada de página vamos tendo mais conhecimento sobre a vida, as diferenças e suas superações década personagem. Não conta apenas sobre o romance genuíno que nasce entre duas pessoas, mas sobre amizade, sobre a reconstrução de vidas e a segunda chance para o amor. Também não contaremos apenas com a presença da história de Jane e Edward, mas também das irmãs McCarthy e amigos delas. E também iremos entender um pouco mais de uma das doenças que devastou vidas durante a época entre 1845 e 1849. A ambientação é muito bem trabalhada, nos fazendo entender muito mais do tempo e das diferenças que se constroem com o passar dele. Eu admirei cada aspecto exposto, principalmente as vestimentas que, só talvez, seja a parte que mais me fascina em livros de época!

Ao final temos uma história linda passada em poucas páginas, mas recheadas de amor e esperança,  com personagens realmente bem construídos e fortes, cada um com sua diferença.
Espero realmente que tenham gostado da resenha e que aproveitem para adquirirem os livros de Naiara e conhecerem mais sobre a autora. Você pode compra o livro “Tudo o que mais importa” clicando aqui, e seus dois contos “Assim como és” e “Estela e a fera”, e segui-la no Instagram clicando aqui para saber sempre as novidades sobre suas obras. E para quem quiser conferir a resenha em vídeo está bem aqui em baixo:



Foi isso, pessoal! Não esqueçam de deixar seus comentários, o que acharam da resenha, se conhecem a autora ou estão querendo já conhecer suas obras! Um beijo e até...
                


terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Resenha de Simplesmente Nina da Lari Becker - Online no Wattpad

Finalmente aqui está a resenha de um dos livros teen mais fofos e delicados que vocês vão poder ler na vida! Simplesmente Nina da Lari Becker foi uma descoberta maravilhosa, não é um total clichê e fica bem longe de ser apenas romance, há drama, amizade e um envolvimento familiar lindo demais!




Você também pode conferir a sinopse logo abaixo junto com os dados da autora: 


Simplesmente Nina
Por Lari Becker (instagram da lari aqui)

Eduardo acreditava que tinha sua vida sob o seu controle, até a chegada de Catarina - uma divertida menina do interior de Minas Gerais que, por uma fatalidade familiar, é deixada sob os cuidados da família de Edu. Ele não esperava que com a chegada de Nina sua vida e seus sentimentos ficassem de cabeça para baixo, e, principalmente, que aquela mineira dos olhos cor de mel e sotaque engraçado seria a luz para sua escuridão.





terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Resenha de Vida e Morte da Stephenie Meyer - Edição 10 anos de Crepúsculo

A minha segunda leitura do ano foi "Vida e Morte" da autora Stephenie Meyer e eu ainda estou caindo de amores por esse livro. Já reparei que muitos vão me contrariar, mas eu realmente adorei o que a Stephenie fez na comemoração de 10 anos de Crepúsculo.

Logo no prefácio do livro ela explica o que ocorreu para esse bônus existir e não o livro tão esperado, que seria o primeiro livro da série aos olhos de Edward Cullen. Pois é, quem achava que o bônus do livro era nosso aguardado "Midnight Sun" ficou chorando horrores (eu mesma!), mas teremos ao invés disso uma releitura de Crepúsculo, porém dessa vez o vampiro será uma vampirA e a humana será um humanO. Isso aí, não vai ser Edward e Bella e sim Beau e Edythe. Confere a resenha para mais detalhes!






Você pode adquirir esse livro na Amazon, Lojas Americanas, Submarino e na Saraiva.